AO PRÍNCIPE D. JOÃO QUANDO LHE MANDOU PEDIR OBRAS SUAS

En Galifontes, o Wikisource en galego.
Saltar ata a navegación Saltar á busca


AO PRÍNCIPE D. JOÃO QUANDO LHE MANDOU PEDIR OBRAS SUAS       Sá de Miranda      
 


AO PRÍNCIPE D. JOÃO QUANDO LHE MANDOU PEDIR OBRAS SUAS

A Príncipe tamanho, cujo rogo
(e mais òs seus) ind’é mais que mandar,
que posso i al fazer, senão passar,
pela água, pelo ferro e pelo fogo?

Se me firo, me queimo, se me afogo,
se dou de mim às gentes que falar,
levemente se pode desprezar
tal dano, - inda mal que não foi logo!

Mas era quase tuto encomendadoà
traça, e não sei quê, com tal presteza,
com que já quase em pó tudo é tornado.

Já’gora, gram Senhor, tudo despreza
quem sai à praça por vosso mandado:
abasta o nome só de Vossa Alteza.